sexta-feira, agosto 27, 2004

No DN de hoje.



Parece que a Câmara de Tomar quer gerir o estacionamento.

terça-feira, agosto 17, 2004

O estacionamento tarifado

Escreveu um pouco mais abaixo, o amigo thomarense sobre este assunto e em reacção a um artigo do Templário, mostrando-se a favor do estacionamento pago e contra "uma certa mentalidade, oh-tão-tomarense-oh-tão-portuguesa" que tudo deseja à borla.
Pois eu não me considerando incluído nessa categoria, entendo manifestar que também sou contra este estacionamento tarifado, pelo menos na forma em como ele aparece. Sobre ele, importa dizer que estou profundamente convencido que não vai resolver qualquer problema do trânsito e do estacionamento da cidade, uma vez que não são criadas alternativas, ou que as que passarem a existir são também elas pagas.
Mais, eu até concordo com o estacionamento pago, pelo menos na zona velha da cidade, mas é preciso que ele exista para resolver problemas e que origine contrapartidas para a autarquia. Ora, o estacionamento tarifado em Tomar aparece única e exclusivamente para pagar o já de si polémico parque atrás da Câmara, e quem ler o contrato de concessão perceberá que a autarquia não só não tira vantagens como, muito estranhamente, sai largamente prejudicada. O interesse público passou a milhas deste contrato.
E apenas para deixar as pessoas a pensar um bocadinho, deixo esta questão: como disse, o estacionamento tarifado vai existir para pagar o parque atrás da Câmara, e muitas das obras que têm sido feitas na cidade foram-no para justificar o estacionamento pago, ora, como há sempre coisas que o público não sabe, porque é que, se o parque atrás da Câmara já está pronto, ainda não foi inaugurado e desconhece-se quando seja?

quinta-feira, agosto 12, 2004

Dois milhares

Thomar ultrapassou ontem as duas mil visitas. A todos os que por cá passaram, obrigado. A todos os que por cá passaram e cá regressaram, muito obrigado. A todos os que por cá passam com alguma regularidade, o que é que vos faz voltar? Não têm mais que fazer, não? :-) De qualquer modo, obrigado pela paciência. E já agora, um obrigado especial a todos os que nos têm linkado.

segunda-feira, agosto 09, 2004

Agosto

Agosto, mês escolhido por grande parte dos tomarenses para usufruir das merecidas férias. É nesta época que aproveito para tentar ler um pouco, uma vez que as obrigações profissionais não me deixam muito tempo durante o resto do ano. Este ano, escolhi uma leitura muito leve:”Casos do Beco das Sardinheiras” do Mário de Carvalho. Podem dizer que se trata de um livro simples, com um texto muito simples e acessível. Tudo muito certo mas, nas férias, não quero algo de muito complicado. Quero descontrair, quero uma leitura que me divirta. Pode não ser o melhor livro deste escritor, mas as histórias revelam uma fértil imaginação, isso não se pode negar! Por outro lado, revela uma realidade ainda existente nalguns recantos lisboetas. Lê-se num instante! Aqui fica a sugestão!
Ah! Já agora, aproveito para desejar umas boas férias a todos os tomarenses!!!!

Algumas perguntas absurdas

Como não moro nem trabalho na cidade, é raro aí me deslocar durante os dias de semana. Uma dessas raras ocasiões aconteceu hoje e ao fim de poucos minutos, já a paciência se me tinha esgotado (confesso que não sou a mais paciente das pessoas que conheço...). De facto o trânsito em Tomar é impossível. Não só o trânsito automóvel, como o trânsito pedonal. Eu sei que o estacionamento na cidade não abunda, mas será mesmo necessário estacionar em segunda fila na Alameda 1 de Março ou na Cândido Madureira, para só citar dois exemplos? Será mesmo necessário estacionar em cima dos passeios da Praça da República? E será que não há na cidade passadeiras suficientes para os peões atravessarem as nossas ruas? Será mesmo necessário atravessar a cinco metros de uma passadeira? Será que todos os automóveis que circulavam hoje à tarde na cidade eram de pessoas de fora da cidade? A cidade é assim tão grande e tão ingreme que é o automóvel é mesmo indispensável?

sábado, agosto 07, 2004

Porquê?

O título acima já é da edição da semana passada, mas nunca é demais lembrar.

Os carrinhos

O excerto acima é ilustrativo de uma certa mentalidade, oh-tão-tomarense-oh-tão-portuguesa, que me irrita profundamente. Queremos tudo à borla. Desculpem lá, mas acho muito bem que haja estacionamento pago em Tomar. Por mim, quanto mais estacionamento pago houver em Tomar, melhor. Pode ser que assim se ajude a reduzir o trânsito na cidade, tornando-a mais "circulável" para os peões. E digam lá: a cidade não ficará [ainda] mais bonita com menos automóveis?
Aliás, a Câmara bem podia ir mais longe e restringir significativamente o trânsito na zona velha da cidade.
E já agora, a policia bem podia ser mais rigorosa para com os condutores que atravancam as ruas da cidade estacionando sistematicamente onde muito bem lhes apetece sempre que vão às compras ou tomar um cafézinho.

quinta-feira, agosto 05, 2004

Mais tomarenses online

Já não era sem tempo, digo eu. O Templário tem finalmente uma edição online. A visitar com regularidade, naturalmente. Outros tomarenses online são os My Tie (que lançam na próxima terça-feira o seu primeiro álbum com o jornal Blitz) e Zero Estúdio (estúdio de gravação localizado no concelho). Quem continua a não existir na Internet é a Câmara Municipal...

Também tenho saudades

De, nestes dias de calor ir com uns amigos beber um mouchão fresquinho à tasca dos Passarinhos, e de repente perceber que passaram horas, e sairmos de lá meio tontos, e irmos até ao jardim aclarar as ideias, e perceber então, no meio do verde e do rio passando em fundo, o quanto gostávamos da nossa terra.

terça-feira, agosto 03, 2004

De regresso a casa...

... após dois dias muito bem passados num dos últimos lugares protegidos da voragem do betão e do "turismo" que heroicamente ainda existem em Portugal. Não digo onde estive porque me pediram segredo. É que se muito mais gente descobrir o que tem andado a perder, daqui a uns anos "aquilo" vai acabar por se parecer com Lagos, Albufeira ou qualquer outro inferno da nossa costa e não se poderá mais ir para lá preguiçar muuuuuuuuuuito c-a-l-m-a-m-e-n-t-e...